Lá  estava ele, mais uma vez se trancando em seu mundinho de solidão, guiado pro incertezas ocasionadas por grandes (des)amores .Suas únicas amizades eram suas pílulas de anti-depressivo e a lua, que o escutava sem reclamar todas as noites até ele adormecer em um sono profundo. Com o seu coração em míseras migalhas, sem razão ou condição alguma para continuar batendo, continuar vivendo era um sacrifício, cada segundo parecia uma faca a mais que era cravada eu seu corpo o fazendo derramar lágrimas que o queimavam quando tocavam sua face.

Os dias custavam a passar, e quando passavam ele tinha cada vez mais certeza de que sua vida acabará no momento em que seu coração deixou de crer no amor, nas coisas que ele era capaz de sentir quando esse sentimento o habitava. O amor simplesmente o abandonara no momento em que ele mais precisava, que ele mais queria e era única coisa que poderia alegra o seu frágil coração. E o amor chegou, o encheu de esperança, de alegria, o fazia acordar todos os dia como se tivesse uma razão para sorrir todos os dias. Mas com a mesma velocidade e intensidade que esse amor chegou, rapidamente partiu sem motivo algum, sem bilhete ou aviso, simplesmente o deixou.

Depois de tanto sofrer e passar um longo tempo montando o quebra cabeça do seu coração em pequenos pedaços, ele chegou a conclusão de que seu coração não aguentava mais sofrer, ele não tinha mais lágrimas e muito menos cabeça para aguentar tudo aquilo novamente e simplesmente preferiu “congelar” seus sentimentos.

Em mais um de seus dias de porre pela cidade eis que, seu coração volta a bater, volta a sentir aquele sentimento ao mesmo tempo tão gostoso e que da medo ainda mais depois de tudo que ele já passou. Ele acaba conhecendo uma menina, ela foi capaz de chamar sua atenção, fazer seu coração bater mais rápido, e quando ficaram, ela foi capaz de fazê-lo esquecer de tudo o que acontecia ao seu redor.

E o seu medo de momento se concretizou, ele se apaixonou, e acabou se magoando por coisas que acabaram acontecendo, mas o sentimento que cresceu dentro dele era grande demais para poder desistir dela assim.

E por não desistir no final deu tudo certo, o tanto que ele correu atraz valeu a pena, ela sabe como fazê-lo feliz, como arrancar um sorriso bobo sem motivo nenhum.

Com o sorriso mais bonitos, os melhores carinhos e principalmente depois de tudo ele pode dizer : ELA É MINHA NAMORADA, e amanhã esses dois fazem 2 meses de namoro *-*

E o ele dessa história sou eu, e o ela é uma tal de Marcella Renzetti Tartoni, a minha namorada e a maior prova de que quando você acha que um amor é verdadeiro deve se fazer de tudo para dar certo, que no final realmente dá.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: